Ucrânia rebate proposta de Lula e diz que não abandonará ideia de tomar a Crimeia | Maranhão Hoje


Presidente brasileiro sugeriu que Crimeia fique com russos

Nesta sexta-feira (07), o governo ucraniano, por meio do porta-voz de sua chancelaria, Oleg Nikolenko, rebateu as falas do presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, emitidas sobre o conflito entre Ucrânia e Rússia no dia anterior (06), e disse que Kiev não desistirá da Crimeia em troca do fim do conflito.

“Não há razão legal, política ou moral para justificar o abandono de um único centímetro do território ucraniano”, escreveu Nikolenko, acrescentando que, no entanto, apreciou “os esforços do presidente brasileiro para encontrar uma maneira de deter agressão russa”.

Ao jornal O Globo, o diploma disse que “qualquer esforço de mediação para restaurar a paz na Ucrânia deve ser baseado no respeito pela soberania total e integridade territorial da Ucrânia, de acordo com os princípios da Carta das Nações Unidas”.

Na quinta-feira (06), em declarações a jornalistas no Palácio do Planalto, Lula sugeriu que a Ucrânia cedesse a península da Crimeia à Rússia para facilitar o fim do conflito, e afirmou que o presidente ucraniano, Vladimir Zelensky, “não pode querer tudo”.

Como vem sendo bastante divulgado, o Brasil criou no final de janeiro uma proposta para um clube da paz, que seria composto por países que não estão diretamente envolvidos na situação, e que querem ajudar nas negociações para cessar-fogo.

Lula levará a proposta à China, para onde deve embarcar na próxima terça-feira, dia 11.

O assessor especial internacional da presidência da República, embaixador Celso Amorim, esteve na semana passada em Moscou e se encontrou com o presidente Vladimir Putin. No dia 17, Brasília receberá a visita do chanceler russo, Sergei Lavrov.

(Da Agência Sputnik com foto de Ricardo Stuckert/Presidência da República)

Admin